Entrada Franca
De 7 a 10 de Abril
no kartódromo municipal

# DanadodeBom

Moraes Moreira e Davi Moraes presenteiam público com antigos sucessos e homenagens a ícones da música nordestina no Cubatão Danado de Bom

Pai e filho estavam acompanhados de uma banda composta por grandes músicos nordestinos e presentearam o público com uma apresentação contagiante no dia do aniversário da cidade
 
O Festival da Cultura Nordestina Cubatão Danado de Bom brindou o público cerca de 13 mil pessoas com um show para lá de arretado na noite deste sábado, em comemoração aos 67 anos de emancipação da cidade de Cubatão. Moraes Moreira e Davi Moraes foram a grande atração do palco principal do evento e cantaram os maiores sucessos da carreira. Neste domingo, último dia do festival, a voz romântica de Pablo, o rei da sofrência, deverá embalar a festa a partir das 22h30, com entrada gratuita.
 
Em quase duas horas de show, a dupla cantou um pouco de tudo: parte do trabalho autoral, novidades, velhos sucessos e ainda celebraram interpretações de grandes pérolas da música brasileira.
 
Canções dos Novos Baianos, como Besta é tuBrasil PandeiroA menina dança e Eu também quero beijar, além de composições de autoria de Moraes Moreira, como Lá vem o Brasil descendo a ladeira, Sintonia, Pombo Correio e Festa do interior fizeram todo mundo dançar.

Ao longo de seus 43 anos de estrada, o consagrado cantor e compositor baiano Moraes Moreira vem mostrando todo seu talento e contabiliza mais de quarenta discos lançados em sua carreira.
 
Durante o show, Moraes Moreira fez questão de declamar um poema do escritor e poeta Ariano Suassuna, homenageado desta 4ª edição do festival, e a recitou um cordel que fez em homenagem ao rei do baião Luiz Gonzaga, emendando na sequência a interpretação de Asa Branca.
 
"Me sinto muito feliz de ter sido convidado para participar desta grande festa e celebrar o aniversário de Cubatão", disse Moraes Moreira.
 
Bem no clima do festival, Davi Moraes e a banda homenagearam alguns mestres da música brasileira, como Luiz Gonzaga, cantando Baião e Dominguinhos e Gilberto Gil, com um arranjo instrumental de Lamento Sertanejo.
 
Embora carioca, Davi Moraes, que deu um show à parte com seus solos de guitarra e apresentações instrumentais, cresceu em meio à cultura nordestina, influenciado pelo pai. "Celebrar a cultura nordestina pra gente é sempre um prazer. E participar de um festival tão bacana como esse é uma honra", disse Davi.
 
A banda com sotaque nordestino que acompanhou Davi e Moraes é composta pelo baterista Cesinha, Augusto Albuquerque no baixo, Marcos Molleta nas guitarras, Reppolho na percussão e Roberto Stepheson e Vander Nascimento no sopro.
 
"A gente se orgulha muito de ter isso no nosso sangue, na nossa música. Meu pai sempre vestiu essa camisa, sempre procurou honrar a sua condição de nordestino. Eu, como carioca, mas tenho uma influência gigantesca não só da Bahia, como do Nordeste. E um respeito gigantesco também. Como não poderia deixar de ser, minha música é totalmente influenciada, minha forma de tocar guitarra tem muito do Nordeste".
 
A prefeita Marcia Rosa destacou a importância do festival para a cidade, que este ano, realizado em uma data ainda mais especial, o aniversário de Cubatão. "É um privilégio fazer aniversário no dia da cidade e este ano está sendo melhor ainda, pois está sendo comemorado durante deste festival maravilhoso que é o Danado de Bom.  Essa festa não é de um governo, é da cidade, do povo".
 
A 4ª edição do Festival da Cultura Nordestina Cubatão Danado de Bom tem o patrocínio da Elog, com apoio da Unipar Carbocloro, Vale, Anglo American. O evento é promovido em parceria com Associação Comercial e Industrial de Cubatão (ACIC), Ciesp Cubatão e Santos e Região Convention & Visitors Bureau e realização da Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, Governo Federal, Prefeitura Municipal de Cubatão e Associação dos Artistas.